CREN capacitará profissionais de saúde sobre má-nutrição - CREN
18882
post-template-default,single,single-post,postid-18882,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-7.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2,vc_responsive

CREN capacitará profissionais de saúde sobre má-nutrição

profissionais de saúde

27 mar CREN capacitará profissionais de saúde sobre má-nutrição

O CREN iniciou nesta semana (11/03) o ciclo 2019 da capacitação de profissionais de saúde da rede pública do município de São Paulo. Com o mote “Cuidar que cuida”, os treinamentos focam na sensibilização dos profissionais de saúde para as questões relativas à má nutrição infanto-juvenil (subnutrição e obesidade). Neste ano, serão oferecidas duas modalidades de curso.

profissionais de saúdeCuidar de quem cuida

O curso “O desafio da obesidade infantojuvenil: cuidando de quem cuida”, acontecerá em 95 Unidades Básicas de Saúde (UBS´s), cobrindo toda a região Sudeste, com possibilidade de extensão para outras regiões.

Na região de Santo Amaro e Cidade Ademar, zona sul, composta por 22 UBS´s, o CREN conduzirá o curso “Cuidar de quem cuida: Nutrição nos primeiros mil dias”. No total, a estimativa é que sejam capacitados 44 profissionais, entre médicos, agentes comunitários de saúde, enfermeiros, nutricionistas e outros.

Profissionais de saúde

O primeiro encontro da capacitação para os profissionais da região de Vila Mariana e Jabaquara, tratou das potencialidades da pessoa e contemplou desde a questão do autocuidado à atuação na promoção integral à saúde. A médica de Saúde da Família Eline Ethel trabalha na UBS Vila Santa Catarina e saiu muito satisfeita. “Se a gente não conseguir reconhecer a pessoa, a tendência é a mecanização do nosso trabalho e começamos a rotular e impor preconceitos. Começar [a capacitação] ressignificando a pessoa e as relações faz todo o sentido. Afinal, é preciso que comecemos a entender o paciente antes de tudo como pessoa.”

Vulnerabilidade positiva

O primeiro encontro também abordou a importância de o profissional de saúde partir da escuta atenta. Com base na realidade do paciente, o profissional trata os valores como patrimônio positivo e potencialidades. A agente comunitária de saúde Luciane Mauch, da UBS Americanópolis, transportou o conceito rapidamente para sua realidade do trabalho. “Estou avaliando que vou marcar uma visita [compartilhada] com a agente ambiental da comunidade na casa de uma família. Temos um desafio para cuidar dessas pessoas. Tenho certeza que juntas vamos ajudar a fazê-las olhar para o patrimônio. Olhar para o que há no espaço físico da casa, por exemplo.”

CREN

O CREN é o centro de referência para desnutrição da Prefeitura de São Paulo. É a instituição a que os equipamentos públicos municipais recorrem para encaminhar pacientes infanto-juvenis com distúrbios nutricionais moderados e graves, tanto subnutrição como obesidade.

Primeiros Mil Dias

Os primeiros mil dias compreendem a gestação somada aos dois primeiros anos de vida de uma criança. O período representa uma janela de oportunidade fundamental para o desenvolvimento biológico, neurológico, cognitivo, psicomotor e emocional da criança.

Obesidade infantil

A obesidade é uma desnutrição silenciosa, com consequências que aparecem na forma de doenças como diabetes e hipertensão. Por conta da obesidade infantil associada à má alimentação, pela primeira vez, as crianças podem viver menos que seus pais. Um terço das crianças brasileiras de cinco a nove anos está acima do peso.

Subnutrição

Contrariando o senso comum, não é o peso, mas sim a baixa estatura o principal indicador de desnutrição. A recuperação da estatura na subnutrição garante o aumento de meio ano de escolaridade para crianças de 2 anos de idade, pelo menos. (Lancet, 2008.) A desnutrição é responsável por 45% das mortes de crianças no mundo inteiro. 1,1 milhão de crianças brasileiras sofrem de subnutrição com baixa estatura.